terça-feira, 18 de outubro de 2011

Santo Agostinho

Sou uma criança, mas meu Pai vive eternamente, e é o tutor que me convém; Ele é ao mesmo tempo o que me gerou e o que me protege.
Santo Agostinho, Confissões

3 comentários:

  1. Para Deus, somos sempre como crianças!

    ResponderEliminar
  2. Que bela consciência tinha este servo do Senhor. Que criatura mais iluminada. Amo Santo Agostinho.

    ResponderEliminar
  3. O pensamento de Santo Agostinho e a sua fotografia, juntos, dão a real dimensão da grandeza de Deus.
    Beijos.

    ResponderEliminar