segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Responde rápido!






E se eu te pedisse para dizeres todas as coisas que amas, quanto tempo levaria para dizeres o teu nome?

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Férias...


Adoro o sentimento de quietude que se tem ao fim de um dia em que se conseguiram realizar tarefas pendentes, tornando-o num dia cheio e bem sucedido. Adoro a paz que se sente ao ter a cozinha a cheirar a limpo, os vidros lavados, e a promessa de limpeza de vasos e flores para o dia seguinte. Adoro o conforto de poder descansar calmamente no sofá à noite e inspirar-me pela parte fantástica do mundo da internet. Saber que ao meu lado descansa o cesto da manta de Outono, ainda por terminar e o cesto da roupa por remendar, tarefas domésticas que muito prezo mas que talvez guarde para serões maiores e mais frescos. Sabe bem saber que elas me aguardam, que não há pressas em terminar tarefas que têm o dom de apaziguar a minha alma por vezes cansada ou abatida. Por agora, resta-me gozar o tempo livre que as férias me oferecem. Geri-lo como melhor me convém, saboreando cada aventura com a minha carracinha, com a família, com os amigos, comigo mesma. Não tem sido fácil, mas tem sido possível, e isso por agora basta-me. 
Alternado com fases em que me apetece mudar de vida, deixar de ser quem sou, viver noutro lugar, abraçar um outro projecto, o mais sensato mesmo é abraçar o que me prende, é agradecer pela minha casa, pela minha varanda de brisas frescas, pelas minhas pessoas, pelo meu trabalho, pelo dia de hoje. Entretanto, enquanto a vida parece permanecer igual a todos os dias, vou enfeitando-a para a tornar mais bonita e fácil de abraçar. Que os dias possam correr assim, sem grandes dores, com muitos amores e sempre, mas sempre, com a presença do Pai, a quem quero conhecer mais e melhor, na certeza de que Ele me adoptou e me deu o nome de filha.