segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Praia, pedras e vida









Quando uma pedra se transforma em fio e quando esse fio se transforma num baú portátil de memórias a acarinhar. Carregar esta pedra ao pescoço tem para mim o valor simbólico de me fazer regressar às férias do Verão, onde caminhei pela praia, joguei beach ball, tomei banho, comi bem, vi os pescadores trazerem peixe do mar e essencialmente, onde sonhei e redimensionei a minha vida. De lá, trouxe o compromisso de abrandar cada vez mais e pôr cada coisa no seu devido lugar. De lá, trouxe esta certeza de que é no desacelerar e tomar consciência do aqui e do agora que a vida toma outro sabor e outro sentido. De lá, abracei a convicção de que não é pecado usufruir das coisas bonitas da vida e de que não é errado descansar aquilo que o corpo pede. Não faz sentido correr, se essa corrida não nos leva a um destino de paz e felicidade interior. Não faz sentido lutar por coisas materiais se, como diz a velha frase: as coisas mais importantes da vida não são coisas. Talvez me sinta desajustada neste mundo, mas isso só significa que talvez tenha sido criada para ajudar a construir um mundo novo!

6 comentários:

  1. Que momentos de reflexão a praia oferece...Lindos e as fotos bem mostram. Que possas logo retornar à praia e desejo felicidades sempre...Linda semana! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Querida amiga!
    Quando olhamos com amor, e além das aparências, vemos a essência e valorizamos os pequenos detalhes que fazem a vida ser fascinante e encantadora.
    Belo post! bjsss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem eu podia dizer melhor, Lena :) Beijo grande.

      Eliminar
  3. é um lugar bonito, lindas fotos ( a quarta !!! ), gosto do teu colar.

    ResponderEliminar